Momo: perigo real ou boato? | A Toca do Bebê
WhatsApp A Toca do Bebe
Central de Atendimento:
(19) 3835-4663

Momo: perigo real ou boato?

Publicado: 18/03/2019

A internet está cheia de desafios propostos por usuários a fim de roubar dados, gerar pânico ou pregar peças nas pessoas mais desavisadas e o público mais vulnerável é o infantil. Saiba como se proteger.

A internet está cheia de desafios propostos por usuários a fim de roubar dados, gerar pânico ou pregar peças nas pessoas mais desavisadas e o público mais vulnerável é o infantil.

Na metade de 2018, o desafio da Momo se tornou famoso: seguindo alguns passos ditados por uma personagem grotesca, os participantes eram influenciados a revelarem dados que poderiam ser usados em golpes financeiros.

Tudo começou pelo WhatsApp, onde as pessoas eram desafiadas a interagirem com um número desconhecido. A pessoa do outro lado da tela respondia com imagens violentas ou ameaças. Esse desafio se espalhou pelos Estados Unidos, Argentina, França, Alemanha e também pelo Brasil.

Segundo especialistas, esse desafio foi feito com o intuito de roubar dados dos participantes. A Momo nada mais é que uma escultura de uma mulher pássaro que esteve em exposição em Tóquio, no Japão.

O problema é que parece que a brincadeira voltou à tona de forma mais violenta. Há relatos de pais e responsáveis que alertam que, no meio de vídeos infantis do YouTube Kids, circula uma mensagem da Momo pedindo que as crianças se machuquem.

Vídeos inofensivos de slime ou de desenhos infantis são supostamente interrompidos com esse tipo de mensagem assustadora.

O que fazer para proteger as crianças? Em primeiro lugar, nada de pânico. O YouTube é um serviço do Google e segue protocolos internacionais de segurança: é uma questão de tempo até que esses vídeos sejam identificados, retirados do ar e seus responsáveis apontados.

O YouTube já possui filtros que permitem ao usuário que acesse apenas conteúdo infantil, é importante que esse filtro esteja ativo no modo restrito. Nenhum sistema, porém, é perfeito e até o Google pode falhar.

O melhor sistema de segurança, sempre, é que os pais ou responsáveis estejam atentos ao conteúdo apresentado aos seus filhos e controlem através de filtros o que pode ser visualizado. Crianças não possuem maturidade suficiente para perceberem o que é perigoso:

- Deixe as crianças ao seu lado enquanto assistem aos seus desenhos preferidos;
- Programe uma lista de reprodução segura. Uma das dicas é, se possível, assista aos vídeos antes de oferecê-los aos pequenos;
- Desative a função de procurar vídeos;
- Acesse canais oficiais dos desenhos preferidos dos pequenos;
- Não impeça o uso de aparelhos celulares ou tablet: converse com as crianças e as oriente a não compartilhar dados com estranhos e nem a seguir recomendações dos vídeos.

Até o momento, o canal oficial do YouTube no Twitter disse que não encontrou nenhum conteúdo sobre a Momo no YouTube Kids e pede que os usuários denunciem conteúdos impróprios.

Voltar

Nossos Parceiros


Receba nossas Ofertas e Novidades